Entrevista Verde

ENTREVISTA VERDE || COLD COFFEE GIRL

Uma Entrevista a uma Blogger Açoriana que gosta do tema Veganismo e Vegetarianismo.

Olá Nossos Devanienses ( E Querida Raquel Roque )!

 

Sobre Mim

 

A Raquel Roque é uma Açoriana e Blogger. Tem um Blog muito interessante que é o Cold Coffee Girl. A Raquel assumiu que gostou muito de responder às nossas questões. Bastante inocentes, sabemos. É um tema que estamos a aprofundar lentamente.

A Raquel gosta bastante do tema e por isso aceitou participar no nosso Projecto. Agradecemos de coração. Este Projecto está a ser cada vez mais emocionante. Além disso, está a ajudar-nos a aprender mais e mais sobre este tema tão interessante e importante.

Como diz Hernâni Carvalho ” A mentalidade é a última coisa a mudar.”. E aos poucos e poucos pode ser que as pessoas tornem os seus hábitos mais saudáveis. Não no sentido de se tornarem Vegans ou Vegetarianos, é uma decisão de cada, mas quem sabe acrescentar umas receitinhas deliciosas à alimentação. É um desafio muito difícil de se realizar?

 

 

Aqui estão as respostas da Raquel Roque e a minha favorita é a três.

1– Desde quando começou este teu interesse pelo Vegetarianismo e pelo Veganismo? Porquê?

Sou fã de comida e quando mais diferente melhor. No entanto, à cerca de uns dois anos para cá o interesse por comida vegetariana aumentou.

2 – Já alguma vez ponderaste tornar-te Vegetariana ou até mesmo Vegan? Porquê?

Sim. Penso que é um estilo de vida alternativo e que poderá trazer mais qualidade na nossa alimentação.

3 – Na tua opinião, porquê que uma parte da Sociedade considera uma modinha?

Muito culpa das redes sociais e de alguns “influencers”. Apesar de considerar este tipo de crescimento positivo, as pessoas não procuram comer comida vegetariana/vegan porque é boa, mas, sim, porque a pessoa A, B ou C foi aquele restaurante.

 

 

4 – Achas importante que a Sociedade tenha um pouco mais de noção sobre o tema, visto que uma grande parte só critica?

Sim. Há pouca noção do que realmente é a comida vegetariana e vegan. Por isso ouvimos comentários como “se virares vegetariano vais comer erva.” “Vais comer só alface”. Isso só mostra a pouca informação acerca desse tipo de alimentação e do quão rica poderá ser.

5- Alguma coisa mudou na tua vida desde este teu interesse?

Sim. Quando comia fora optava sempre por comer um prato de carne, agora já estou mais aberta para pedir e experimentar pratos diferentes.

6 – Mudou alguma coisa na tua alimentação e\ou no teu consumo em geral desde que te interessante pelo tema?

Sim. Pelo menos durante a semana como 2 ou 3 pratos vegetarianos e sinto-me bem em o fazer. E influenciei a minha família a o fazer também.

 

 

7 – Na tua opinião, faz algum sentido quando questionam o porquê de gostarmos de animais e mesmo assim comermos?

Não, acho que uma coisa não tem haver com a outra. Sou amante de animais e vivo numa zona em que a produção de gado é fundamental para a região. Se fossemos pensar assim não comiamos nada. Por exemplo, gosto de peixe, mas não o vou tirar do mar porque ele pertence à cadeia alimentar de outros animais. Ou não vou comer alface porque as larvas e caracoís das terras precisam da alface.

8 – A tua alimentação teve alguma alteração com o teu interesse no tema?

Sim. Procuro sempre fazer pratos novos e diferentes, por isso estou sempre a procurar receitas que me permitem explorar o mundo vegetariano e o vegan. E, até, consigo comer alimentos como a curgete, que antes era impensável gostar.

 

 

9 – Alguma vez fez-te confusão ires a um Talho ou a uma Peixaria?

Apesar de serem locais em que não gosto muito de ir, não me mete confusão lá ir.

10 – Achas que é um tema interessante para ser debatido? Porquê?

Sim. É um tema que muitas pessoas conhecem apenas de forma superficial e daí criam-se ideais e rotula-se muito quem tem interesse na área. Se esse tema chegasse de forma correta a mais pessoas acho que elas passavam a ver a alimentação vegan e vegetariana de outra forma.

 

 

Gosto bastante da terceira resposta, porque há muito o rótulo da “Blogger de Restaurante”. Não tem mal irem a um Restaurante comer algo saudável porque um Blogger, Youtuber ou Instagrammer foi lá. A parte negativa é que a maioria não associa a algo saudável e bom para ela própria, mas sim a quem indicou. Comeriam do mesmo modo se fosse um prato de carne ou peixe.

É uma “moda” boa. Coloco moda entre aspas, porque não é uma moda, mas associam a moda à nossa profissão (de Blogger).

O problema das Redes Sociais é que dão uma má imagem de quem tem uma alimentação mais saudável, porque não é aquela que nos habituaram desde pequenos ( Fico feliz pela minoria que não é quase impingindo em criança a comer carne, peixe e leite não materno). Depois vêm aquelas frases tão preconceituosa e matadora “Só pode ser coisa de Vegetariano. Não têm mais nada para fazer. Olha para mim a comer carne. Nem quero saber.”.

É tão errado, nas Redes Sociais, ser Vegan, Vegetariano e Professora de Português. Qualquer coisa é “Deve ser Professora de Português, só pode.”. É algo errado? Talvez em Portugal, seja. Um Professor para duas turmas só para pouparem dinheiro. As turmas pequenas são o segredo do sucesso…

 

 

Há quem seja reticente as mudanças, mesmo que essas sejam boas. “Se sempre escrevi assim, porquê evoluir?”. “Se sempre comi deste modo, porquê melhorar?”. É triste, mas é a realidade.

“Estás a dizer que somos os únicos animais que não precisamos de carne para me fazeres uma lavagem cerebral.”. A única lavagem que pode haver é intestinal. Um organismo mais saudável.

Demos tempo. Muito tempo. Bastante tempo. Porém, vou dar um exemplo que serve para tudo. Um homem foi analfabeto até aos sessenta e cinco anos, formou-se com oitenta e cinco porque quis!

Beijinhos

Deixar uma resposta